Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



11 de Setembro de 2001

por I myself, em 11.09.13

        12 anos se passaram. Entraste escola dentro e deste a notícia do que se estava a passar. Não haverá mais 11 de Setembro sem que me lembre ti.

publicado às 13:18

Há notícias que não são boas

por I myself, em 05.02.13

...nem sempre chega.

publicado às 20:14

A Guerreira Sorridente

por I myself, em 06.12.12

        "Conheci" a Sílvia pela net e não sei porquê houve grande empatia entre nós. Diáriamente comentava no seu blog. A Sílvia tinha leucemia e ontem partiu. Na semana passada cheguei a ligar para o IPO do Porto pois ela não dava notícias pelo blog. E estava mal, muito mal. Mandei-lhe um beijinho pela Enfermeira e a Sílvia confirmou que o tinha recebido. É estranho. Eu não a conheci pessoalmente mas a notícia deixou-me de rastos... Ela lutou tanto. Mas não conseguiu. Sei que estava a escrever um livro e eu imaginava-me a ir ao lançamento. Agora acabou tudo. Fica um pai sózinho com duas crianças pequeninas sem a mãe e eu não consigo deixar de pensar nelas. A Sílvia terminava os posts sempre com a frase "Amanhã é outro dia" mas para ela já não é. Descansa em paz Sílvia, bem mereces!

publicado às 19:03

Para a Guerreira Sorridente

por I myself, em 30.09.12

Tu és mais forte e sei que no fim vais vencer!

Tudo vai correr bem tu vais ver!

publicado às 20:22

...

por I myself, em 04.09.12

        Ninguém merece. Com apenas 7 anos e tanto sofrimento. Descansa em paz Carmenzita.

publicado às 19:33

Saudade

por I myself, em 11.11.11

        Há 12 anos atrás conheci uma pessoa muito especial. Eu Educadora e ela a Mãe de um menino meu. Houve uma empatia grande entre nós e muitas vezes colaborou em actividades que propunha aos Pais.

 

        Fui Educadora do M. durante 4 anos. Ela era uma mãe muito presente e dedicada aos filhos. Não trabalhava e de vez em quando "desaparecia" por uns tempos. Nesses tempos era o avô quem ia buscar o M.

 

        Fiquei grávida da Sara no último ano em que tive o M. Quando ela nasceu vieram cá a casa visitar-nos. Foi nessa altura que ela me contou o seu problema. Tinha leucemia. Descobriu quando o M. tinha apenas 3 anos e por opção escondeu de todos nós (equipa de trabalho). Fez transplante de medula e na altura em que me contou tudo estava a correr bem.

 

 

        Falávamos várias vezes ao telefone e lembro-me que a primeira coisa que dizia era como estava. Tinha a sensação que não gostava que lhe perguntassem como estava. Os nossos filhos mais velhos tinham a mesma idade. O Tiago ia muita vez para casa do M. e o M. vinha muita vez cá para casa.

 

        Foi a primeira pessoa a saber quando engravidei do Miguel. Deu-me muita coragem para seguir em frente. Esteve sempre ali! Depois houve altos e baixos na doença, mas ela aguentou-se sempre. Veio visitar o Miguel quando nasceu e falámos por várias vezes ao telefone.

 

        A última vez que falei com ela estava bem. A doença estava controlada e ela estava feliz! Um mês depois faleceu. O M. tinha apenas 9 anos. Falei com o marido e respeitei a vontade dela. Não quis ninguém no funeral. Desde aí deixei de ver aquela família. Nunca mais tive coragem para ligar pois o número que tinha era do telemóvel dela e do de casa.

 

        Hoje, 4 anos depois da sua morte, encontrei o marido. E fiquei sem palavras. E lembrei-me dela. E não conseguimos dizer nada. Um simples sorriso disse tudo. Seria tão bom se ela ali estivesse...

 

       

publicado às 18:04


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D


Links

Blogs que gosto de espreitar: